A Inteligência Emocional é o modo como gerenciamos nossas emoções, é a habilidade de entender e expressar corretamente nossos sentimentos, além de lidar da mesma forma com as emoções de outras pessoas. Ela nos permite administrar de maneira assertiva o nosso comportamento, além de ser essencial para a formação, desenvolvimento e a manutenção dos nossos relacionamentos. A Inteligência Emocional permite uma vida mais equilibrada, segura e feliz, e nos ajuda na tomada de decisões que geram resultados positivos.

Toda pessoa que desenvolve essa capacidade emocional adquire um controle maior de tudo o que permeia e acontece em sua vida.

Os estados emocionais também influenciam na saúde, nos relacionamentos e na produtividade e são o ingrediente chave para compreender os conflitos conjugais, as loucuras dos adolescentes, os vícios, as doenças psicossomáticas e o suicídio. A ciência nos leva a aceitar que na dinâmica afetividade-racionalidade, as emoções prevalecem. Você sabia que por causa das emoções, 90% das pessoas sofrem de algum tipo de estresse que se deriva em sofrimento e diversidade de doenças: “tics”nervosos, falhas de memória, insônia, impotência, infecções, retraso do crescimento, cólon irritável, artrite, fobias e até câncer, podem se relacionar cientificamente com uma gestão desequilibrada das nossas emoções.

As emoções são a essência das nossas vidas, pelo qual temos que aprender a gerenciá-las para que trabalhem ao nosso favor.

Você consegue gerir suas emoções? Ou se vê escravo delas? Alguma vez você se perguntou: por que eu não consigo ser diferente? Por que eu continuo repetindo sempre os mesmos erros? A resposta a esse pergunta é que você não consegue porque em toda a sua vida nunca ninguém te ensinou a entender suas emoções. Você aprendeu a ler, escrever, a trabalhar, mas nunca aprendeu o mais importante: lidar com as suas emoções.

5 emoções básicas do ser humano:

Medo, raiva, tristeza, alegria e amor.

O Medo: Embora muitas pessoas entendam o medo como um defeito ou uma emoção negativa, ele é muito importante para ensinar o ser humano sobre a importância dos limites e da autopreservação. O Medo é um mecanismo de sobrevivência do ser humano e também libera a criatividade para sair dos perigos que aparecem. A maioria das pessoas acredita que a gente tem que esconder o medo porque ele é sinal de fraqueza, e muito pelo contrário: quanto mais você assume e tem consciência do seu medo, mais você é capaz de agir do jeito certo quando aparece a situação de risco. Sempre que você reprime o medo, ele se torna ainda mais poderoso contra você. E essa é uma das principais causas de doenças físicas e emocionais no mundo de hoje.

A Raiva: Quando acontece alguma ameaça à vida, a raiva se faz presente como uma defesa espontânea/natural, como se fosse uma força vital. O coração acelera, os dentes travam, o rosto fica vermelho e vem a vontade de gritar ou de pular no pescoço do outro. Isso é a raiva em movimento no nosso corpo. Na raiva o sangue flui para as mãos e fica mais fácil golpear o inimigo, os batimentos cardíacos aceleram e a adrenalina gera impulso. É por isso que desde criança a gente aprende que a raiva é algo negativo e que se demonstrarmos a nossa raiva ninguém vai gostar de nós. Aí a gente reprime a raiva e ela se torna ainda mais viva. A questão é que quando as pessoas não sabem aproveitar essa emoção de forma positiva tem que engolir a raiva e é isso que gera os distúrbios emocionais e físicos como depressão, ansiedade, compulsão alimentar, insônia e até o câncer. O que a raiva faz na verdade é disparar um mecanismo que te coloca em movimento para alterar uma situação de frustração ou de injustiça.

A Tristeza: Essa emoção normalmente está relacionada a perda de um ente querido, uma desilusão amorosa, traumas, descontentamento profissional e pessoal ou algum conflito interior mal resolvido. A tristeza é o oposto da alegria que todo mundo tanto quer. Por isso muitas pessoas acabam camuflando a tristeza ou querendo que ela se afaste rápido. Só que o problema de negar a tristeza é nunca aprender a lidar com as decepções naturais da vida. Quando se passa por cima da tristeza fingindo que está tudo bem, ela cresce dentro de você, simplesmente porque a causa da tristeza não desapareceu. O que você precisa saber é que a função da tristeza é ajustar você com a sua perda

A Alegria: É o combustível para superação. Ela permite a preservação do seu bem-estar psicológico diante dos acontecimentos estressantes da vida. As pessoas que deixam a alegria fluir enxergam o mundo muito mais seguro, tomam decisões mais rápidas, tem sucesso profissional, são mais cooperativas e cuidam mais da sua saúde.

O Amor: A principal emoção que todos nós, seres humanos precisamos desde quando nascemos. Em uma pesquisa foi possível descobrir que no amor entre duas pessoas há uma diminuição da frequência cardíaca e na sensação da dor, apenas pelo ato de se abraçarem por mais de 40 segundos! Quando você ama, o seu cérebro te dá a sensação de bem-estar e essa condição melhora a sua memória, reduz à praticamente zero o estresse, equilibra a sua pressão e te enche de prazer. Por isso, não é de se estranhar que os estudos mostram que quem ama vive mais, tem mais amigos, tem mais saúde emocional e evita doenças.

As emoções são maravilhosas se forem bem trabalhadas a seu favor.